Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.idp.edu.br//handle/123456789/2763
Título: Gestão de riscos no âmbito da administração pública do Distrito Federal
Tipo: Dissertação
Autor(es): Cruz, Felipe Lopes da
Moraes, Maria Ester Lessa Brandão Nogueira de Oliveira
Data do documento: 2020
Editor: IDP/EAB
Citação: MORAES, Maria Ester Lessa Brandão Nogueira de Oliveira. Gestão de riscos no âmbito da administração pública do Distrito Federal. 2020. 131 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública) - Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa , Brasília, 2020.
Resumo: Tema: implantação da Política de Gestão de Riscos no âmbito da Administração Pública do Distrito Federal. Implantou-se o Programa e buscou-se identificar os principais fatores que influenciaram os resultados alcançados por três Unidades distritais: Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) e Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (SEAGRI). No marco temporal definido, a Controladoria- Geral do Distrito Federal (CGDF) examinou, sob a óptica da auditoria baseada em risco, estas Unidades. Estudou-se o arcabouço legal relacionado à instituição da política, os artefatos para sua implantação e os relatórios de auditoria baseada em riscos e de monitoramento em gestão de riscos. As informações acerca do programa e seus resultados vieram das entrevistas com gestores dessas Unidades, da CGDF e do questionário aplicado na FHB e no Metrô-DF. Não houve levantamento na SEAGRI. Resultados: liderança, internalização do programa e capacitação em gestão de riscos foram os fatores mais influentes. Liderança: FHB - a ingerência da alta direção impulsionou a implantação do programa e facilitou a sua execução. Metrô-DF e SEAGRI - apoio da alta direção, representado na formalização da política, comprometeu a boa execução e dificultou a continuidade após as eleições distritais de 2018. Internalização da política: FHB - experiência prévia em gestão da qualidade valeu para internalizar a gestão de riscos pela divulgação dos bons resultados e intercâmbio de informações entre setores; Metrô-DF e SEAGRI – cultura organizacional, representada por resistência dos servidores, dificultou a internalização da política. Capacitação - FHB considerou-a essencial ao sucesso na implantação da política; suporte da CGDF permanente à FHB e inicial ao Metrô-DF e à SEAGRI. Para servidores, a capacitação foi o mecanismo mais relevante à boa execução da política de gestão de riscos nas Unidades.
URI: https://repositorio.idp.edu.br//handle/123456789/2763
Aparece nas coleções:Dissertações de Mestrado



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.