Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.idp.edu.br//handle/123456789/1720
Título: Sustentação oral pelo Amicus Curiae nos Tribunais Superiores.
Tipo: Monografia de especialização
Autor(es): Nascimento, Bruno Dantas
Ribeiro, Flávio Schegerin
Palavras-chave: Processo Civíl;Amicus Curiae;Amicus Curiae, Direito, Brasil;Tribunais Superiores, Sustentação Oral
Data do documento: 21-Mai-2015
Editor: IDP/EDB
Citação: RIBEIRO, Flávio Schegerin. Sustentação oral pelo Amicus Curiae nos Tribunais Superiores. Brasília: IDP/EDB, 2012. 78f. - Monografia (Especialização). Instituo Brasiliense de Direito Público.
Resumo: O objeto desta investigação científica é o instituto jurídico do amicus curiae, que embora exista desde o direito romano antigo, ainda é pouco conhecido no Brasil, conquanto esteja em eminência de ser positivado no Código de Processo Civil por meio do Projeto de Lei nº 8.046, de 22 de dezembro de 2010 ou como modalidade de intervenção de terceiros (versão original do Projeto) ou como auxiliar da Justiça (versão atual, decorrente de uma emenda). O amicus curiae é uma ferramenta processual que permite a terceiros, mesmo que não sejam parte de um processo e nem tenham interesse jurídico na disputa judicial, oferecerem opiniões consideradas de significância à comprovação das alegações no processo. Este estudo traça os contornos para determinar os limites e o alcance do tema escolhido à luz dos diversos pontos de vista doutrinário e jurisprudencial existentes, para verificar, ao final, a possibilidade e condições da sustentação oral pelo amicus curiae nos Tribunais Superiores. O tema é controverso principalmente na jurisprudência. O Supremo Tribunal Federal vem decidindo que o amicus curiae tem direito de fazer sustentação oral nos casos em que o procedimento normativo do processo admite. Já o Superior Tribunal de Justiça tende para a interpretação no sentido de que tal direito não pode ser admitido ao amicus curiae. Ao final da pesquisa, demonstra-se que o amicus curiae tem o direito de proceder à sustentação oral das razões que justificaram a sua admissão formal na causa, como decorrência dos poderes concedidos pela sua dinâmica da atuação processual, inclusive nos recursos aos Tribunais Superiores.
Descrição: Monografia apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Especialista em Direito Processual Civil no curso de Pós-Graduação Lato Sensu do Instituo Brasiliense de Direito Público- IDP.
URI: https://repositorio.idp.edu.br/123456789/1720
Aparece nas coleções:Especialização em Direito Constitucional

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Monografia_Flavio Schegerin Ribeiro.pdf688.35 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.